Oposição cobra renúncia de Dilma Rousseff após declarações de Delcídio

Em delação ainda não homologada no Supremo, senador prometeu revelar detalhes do envolvimento de Dilma e Lula no petrolão.

As explosivas declarações do senador e ex-líder do governo Delcídio do Amaral (afastado do PT-MS) tomou conta das discussões do plenário da Câmara dos Deputados nesta quinta-feira. Aos procuradores da Lava Jato, o petista, que até o ano passado era o porta-voz do Planalto no Senado, acusou a presidente Dilma Rousseff de entrar em campo para sabotar a Operação Lava Jato. 

Delcídio afirmou ainda que ela tinha "pleno conhecimento" de todo o processo de aquisição da refinaria de Pasadena, no Texas, responsável por um prejuízo de 792 milhões de dólares aos cofres da Petrobras. Com as revelações, parlamentares opositores reivindicam a imediata renúncia de Dilma da presidência da República.



Parte dos documentos que detalham o que pode constar na delação de Delcídio foi divulgada nesta quinta-feira pela revista Isto É. O senador acusou a presidente Dilma de atuar três vezes para interferir nas investigações do petrolão por meio do Judiciário. 

"É indiscutível e inegável a movimentação sistemática do ministro da Justiça José Eduardo Cardozo e da própria presidente Dilma Rousseff no sentido de promover a soltura de réus presos na operação", afirmou Delcídio, segundo a revista. 

Uma das investidas da presidente Dilma, segundo Delcídio, passava pela nomeação do desembargador Marcelo Navarro para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) para agir pela soltura de empreiteiros.

"O governo Dilma acabou, apodreceu, e não pode mais continuar nem um dia. Nós estamos vendo aqui o governo mais corrupto da história do Brasil. Não é mais possível imaginar que a Presidência da República está entregue a uma pessoa incapaz e que acoberta a corrupção. Não é possível que continue da mesma forma. Não há outro caminho do que a renúncia para que o país possa se reencontrar. Por isso, Dilma, renuncie, saia daí", afirmou o líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR).

No documento preliminar de delação, Delcídio também implicou o ex-presidente Lula e, conforme a revista Isto É, disse que o petista tinha pleno conhecimento do propinoduto instalado na Petrobras e também interferiu nas investigações da Polícia Federal.

"Alguém que conhece as entranhas do poder afirma que essas duas figuras do governo petista tentaram obstruir os trabalhos da Justiça. Esse fato merece de todos nós uma afirmação muito forte para dizer que esse governo não tem a mínima condição de continuar à frente do país. É inaceitável tal situação", disse o deputado Betinho Gomes (PE), vice-líder do PSDB. "Presidente Dilma, reconheça, tenha humildade, finalmente, de dizer ao povo brasileiro que não há condição da senhora ficar à frente do país. É hora de reunir as forças políticas para tirar o país dessa situação e seguir o caminho por duas vias: ou por seu impeachment ou por sua renúncia. Faça um bem à nação brasileira", continuou o tucano.

Informações: VEJA.com

SHARE ON:

Hello guys, I'm Tien Tran, a freelance web designer and Wordpress nerd. Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudantium, totam rem aperiam, eaque ipsa quae.

    Blogger Comment