Pular para o conteúdo principal

"Advogados de Odebrecht tentou nos comprar" diz Policiais Federais



A informação está contida em reportagem do Jornal a Folha de São Paulo que circula nesse domingo, 04. Segundo a Folha, um delegado federal e um ex-agente da PF são suspeitos de vazar informações secretas,  “guardadas a sete chaves” na PF, em Curitiba. Um sigiloso inquérito que já foi instaurado, que promete revelar quem vendeu, quem comprou e quem se beneficiou com as informações. Já há consenso na cúpula da PF que o fato, se comprovada sua veracidade, deva provocar demissões de policiais e representação junto a OAB para que apure o comportamento ético de advogados. A previsão é de que penas duras devam ser impostas aos envolvidos no episódio.  Certamente , “os agentes”  da empreitada não imaginavam quem  é Sérgio Moro!
Um dos advogados da Odebrecht, Augusto de Arruda Botelho está sob investigação da Polícia Federal sob a suspeita de ter comprado de policiais dossiês com informações sigilosas ou falsas para desqualificar os delegados da Operação Lava Jato e prejudicar as investigações.
Há suspeitas de que anotações encontradas pela PF no bloco de notas do celular do presidente do grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, preso desde 19 de junho, possam ter alguma relação com a suposta estratégia ilegal para atrapalhar as apurações.
Um desses textos dizia: “Trabalhar para anular (dissidentes PF…)”, o que foi interpretado pela polícia como uma tentativa de acabar com a investigação por meios ilícitos –a Odebrecht sempre refutou essa versão.
Os dissidentes da anotação, segundo suspeita da PF, podem ser os mesmos policiais que teriam vendido as informações secretas.
PF colheu indícios de que o preço dos dados sigilosos pode variar de R$ 500 mil a R$ 2 milhões. Uma das informações que teria sido vendida era a data das prisões e buscas em empreiteiras, o que permitiria às empresas esconder material que poderia ser apreendido.
Um delegado e um ex-agente da PF são os principais suspeitos pela suposta venda, segundo a portaria que instaurou o inquérito. Paulo Renato de Souza Herrera foi um dos primeiros críticos dos delegados da Lava Jato e está afastado para tratamento psicológico; o ex-agente é Rodrigo Gnazzo.
Outro advogado, Marden Maués, que atuou na defesa da doleira Nelma Kodama, também aparece na apuração sob suspeita de que teria ajudado os policiais a comercializar as informações secretas.
Botelho e Maués refutam as suspeitas e dizem que o inquérito é uma tentativa da PF de constrangê-los por terem apontado irregularidades na Lava Jato (leia texto abaixo).
Dois advogados de Curitiba, ouvidos pela Folha sob a condição de que seus nomes não seriam revelados, dizem que foram procurados pelos policiais investigados.
Além de dossiês, um deles oferecia os serviços de um hacker que dizia ser capaz de invadir computadores da PF em Curitiba, nos quais estão armazenados dados da Lava Jato, e alterar informações ali armazenadas. Os advogados dizem ter recusado a oferta. 
DOLEIRA
Um dos indícios apontados pela PF de que houve venda de informações foi a publicação de uma reportagem sobre mensagens que os delegados da Lava Jato trocavam num grupo fechado do Facebook.
Como só policiais da Lava Jato faziam parte do grupo, a suspeita é que o delegado investigado tenha vendido essas informações para desqualificar politicamente o grupo.table(articleGraphic).
|/3.(articleGraphicSpace).
Numa das mensagens, o delegado Márcio Anselmo dizia “alguém segura essa anta, por favor”, em referência a Lula e a uma notícia cujo título era “Lula compara PT a Jesus Cristo”.
A reportagem foi publicada em novembro de 2014 no jornal “O Estado de S. Paulo”.
O inquérito, que corre em segredo de Justiça, foi instaurado a partir de informações prestadas pela doleira Nelma Kodama. Condenada a 18 anos de prisão, Nelma negocia um acordo de delação premiada e prestou depoimentos relatando o que diz ter ouvido de seu antigo advogado, Marden Maués. Pelo relato de Nelma, Marden se aproximou do grupo dissidente quando eles investigavam a morte de um agente da PF em Curitiba que se enforcou no ano passado, quando seus superiores descobriram que ele se apaixonara pela doleira.

Postagens mais visitadas deste blog

Juiz Moro diz que vai até o fim e pede apoio do povo brasileiro

O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba, disse que vai até o fim nos processos, não importa se os corruptos são ou não poderosos.
Moro ainda disse que se baseia nos fatos, nas provas e na lei, seja para condenar ou seja para absolver. 



Por fim, o Juiz que conquistou o Brasil e é visto mundo afora como ícone da Justiça e do Direito, convoca o povo brasileiro a apoiar ele e a Força Tarefa na luta por um Brasil melhor.
Faxina geral já! Povo em ação derruba qualquer político ladrão! Lava Jato neles!

Veja o vídeo
Clique aqui para assisti-lo!

Esse país ainda vai ser livre da corrupção, diz Sergio Moro

Recebido como celebridade entre juízes e desembargadores de Santa Catarina, o juiz federal Sérgio Moro palestrou nesta sexta-feira durante o Congresso Estadual de Magistrados, em Itapema. Tirou fotos, conversou com os participantes e deu até autógrafos. 

O painel não foi muito longo. Por cerca de 20 minutos, Moro falou sobre a corrupção no Brasil e o papel do Judiciário no cenário atual. Depois respondeu perguntas do público, criticou a morosidade dos processos e disse que o Judiciário não conseguirá mudar o país sozinho.

Ovacionado por mais de 200 magistrados presentes, Moro iniciou a palestra relembrando o período da ditadura e do descontrole inflacionário no país – fases que, segundo ele, chegaram a ser vistas como algo natural por quem viveu naquelas épocas. Em seguida, as comparou com a situação atual:

— Esse caso (a Lava-Jato) revela indícios de algo que muitos de nós cogitávamos que era a realidade neste país e talvez seja. E é uma realidade preocupante, um quadro de corrupção sis…

Rede Globo fica com 90% do dinheiro arrecadado do Criança Esperança, diz documento descoberto

WikiLeaks divulga documento que mostraria que a Globo fica com 90% do dinheiro do Criança Esperança. Confira abaixo o link para o documento e confira você mesmo.

Com informações do Wikileaks Promovida pela TV Globo em parceria com o Unicef – Fundo das Nações Unidas para a Infância -, a campanha já arrecadou R$ 122 milhões, em 18 anos, investidos integralmente no Brasil.

O Show do Criança Esperança completou 18 anos de alegria. Sob o comando de Renato Aragão, a festa de solidariedade teve a sempre presente Xuxa e muitos outros convidados como Sandy & Junior, Caetano, Angélica e Maurício Mattar.

WikiLeaks divulga documento que mostraria que a Globo fica com 90% do dinheiro do Criança Esperança. Confira abaixo o link para o documento e confira você mesmo.



Um documento publicado pelo site WikiLeaks, famoso por divulgar materiais e informações confidenciais de governos e empresas, registra uma investigação sobre o recebimento de verbas da campanha Criança Esperança da Rede Globo pela Unesc…